domingo, 24 de setembro de 2017

“E sede agradecidos” (Cl 3,15).

 No último dia 12 a 20 de setembro, aconteceu na casa das Irmãs de Santo André, em Rondinha – PR, um retiro inaciano, segundo a espiritualidade de Santo Inácio de Loyola. Participar de um retiro é aceitar o convite que Deus nos faz de nos encontrarmos com Ele e conosco mesmo. É tempo de contemplar a vida, a missão e toda a ação que realizamos, a qual o próprio Deus conduz a cada dia sob a luz da sua Palavra. Por isso, nosso agradecimento a Ele, Senhor da vida e da história que nos ampara, ilumina e rege nossos passos e os daqueles que coloca no caminho da nossa vida.
Tais exercícios espirituais propiciam que dediquemos mais tempo à oração contemplando a obra criadora de Deus e seu amor pela criação. Obra esta que compreende o amor que se doa plenamente pela pessoa humana. Diante do reconhecimento da grandeza desse gesto o sentimento que brota do coração é de agradecimento.
Agradecimento porque Deus nos ama e está sempre a nos chamar para uma nova vida, para um novo recomeçar, para uma nova missão onde estamos. Chama-nos a amar mais aqueles que estão próximos de nós, aqueles que precisam da nossa ajuda, do nosso amor, do nosso perdão.


O amor que se experiencia com Deus nos faz perceber que somos maiores do que nossas fraquezas ou nossas faltas porque somos criados e amados por Ele. Ele que é infinito amor se alegra quando nos vê encorajados a reconhecermos sua graça, bondade e misericórdia. Quando vê que estamos dispostos a colocar os dons que recebemos a serviço na missão em que nos encontramos. Por isso, a Deus nosso agradecimento por termos a oportunidade de participarmos desse tempo de recolhimento para oração.



Ir. Madeline Pozzebon
e Ir. Margarida Nunes Borges








quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Parabéns Daniele


Nos preparamos para comemorar o aniversário de Daniele....

Jesus te conduza pelos caminhos mais seguros...

Feliz aniversário.

"Ao grito de Cristo: “Tenho sede!”, queremos responder com amor que repara, que se compadece, que trabalha e que se doa sem reserva para a salvação das almas".


Santa Úrsula Ledóchowska

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Comunidade Oruro/Bolívia



Temos a alegria e satisfação em poder dar continuidade ao trabalho de apoio escolar para crianças com dificuldades de aprendizagem. Este trabalho está sendo realizado em nossa casa, da qual procuramos acolher as crianças mais pobres e necessitadas de ajuda.
Para beneficiar as crianças mais necessitadas, abrimos a possibilidade em acolher também seus irmãos menores, uma vez que nesta realidade Orurenha as crianças maiores necessitam cuidar de seus irmãos menores para que seus pais possam trabalhar. E, muitas vezes estas crianças ficam na rua ou em casa sozinhos sem nenhuma assistência familiar para cumprir com seus deveres escolares e muito menos aproveitar da sua fase de ser e viver como crianças, uma vez que desde a tenra idade necessitam assumir compromissos que caberiam aos pais.
Atualmente atendemos crianças de 2 a 12 anos, 3 vezes por se semana, no período da tarde. Contamos particularmente com a ajuda da Divina Providencia que vem em nosso socorro sempre que necessitamos, pois dependemos da ajuda de voluntários e aqui 'e sempre um grande desafio contar com a ajuda comprometedora das pessoas. Porem, temos conosco a jovem Paola Maribel, da qual está fazendo experiência em nossa casa, e da professora Nanci, uma senhora já aposentada que vive a espiritualidade de Chiara Lubich, da qual foi minha professora de espanhol. Assim formamos duas turmas de crianças: a sala dos menores, irmãos das crianças que fazem apoio escolar e a outra com as crianças e adolescentes que necessitam de ajuda escolar.
'E uma grande alegria poder ver o sorriso no rosto de cada criança quando tem a possibilidade de brincar e ser criança; 'e uma grande felicidade quando podemos partilhar do pouco que temos para oferecer a estas crianças, das quais muitas delas não têm nada para comer em suas casas; 'e uma satisfação ouvir as crianças falarem que gostam de ficar em nossa casa, de brincar, de correr e que não tem vontade de ir embora.
Procuramos oferecer o melhor a estas crianças, e para isso contamos com a ajuda de muitas pessoas, das quais foram nossos benfeitores para que pudéssemos organizar um ambiente acolhedor e agradável. Agradeço as irmãs do Brasil, minha família e as amigas benfeitoras de Primavera do Leste e Criciúma /SC que com tanta generosidade serviram e ajudaram com suas doações. E também alguns amigos, benfeitores da Polônia.
Nossa comunidade de Oruro, além de tudo, também contribui com as vendas dos bolinhos no mercado publico de nosso bairro. Assim, com esta pouca renda que entra podemos fazer o "milagre da partilha", "O banquete da alegria".
Agradeço imensamente pela generosidade da Ir. Olga Caceres e da jovem Paola Maribel que uma vez por semana se colocam a disposição com tanta alegria para vender estes bolinhos. E agradeço imensamente a Deus que me deu a oportunidade de preparar-me e aprender para depois servir com os dons que Deus me deu, ainda estando na Polônia. Mas, este amor pela cozinha, a criatividade, o sabor de fazer tudo com carinho devo imensamente a nossas irmas polonesas e a elas quero agradecer: Ir. Maria Lisiecka, Monika wronska, Aleksandra Soltysiak, Barbara Jagla, Jolanta e Miroslawa W. Irmãs queridas, saibam que o tempo precioso em que vivenciei com vocês aí na Polônia, foi uma oportunidade única, uma grande graça de Deus. Saibam que a forma como vocês faziam as coisas, especialmente no que diz respeito aos dotes culinários me contagiou e me ajudou a tomar conhecimento deste dom escondido que estava dentro de mim. Por causa de vocês posso colocar meus dons a serviço, criando e fazendo tudo com grande amor. Uma coisa é certa nesta vida: tem sempre alguém nos observando, e neste ato de observação alguém pode estar aprendendo ou desaprendendo conosco. Irmãs podem ter certeza que aprendi muito de cada uma de vocês e sou muito grata por tudo.
Digo sempre: Polônia para mim foi um grande doutorado que me preparou para o campo da prova que se chama Oruro/Bolívia.





Ir. Valeria Aparecida de Freitas Curado

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Celebrando o dia do leigo - Várzea Grande - MT

No último domingo de agosto, como já de costume, no Brasil celebra-se o Dia do Leigo, dando maior ênfase para o Catequista.  Como na nossa Paróquia - São Sebastião em Várzea Grande -MT há um número bem alto de catequistas (240), uma parte delas, mais ou menos 1/3 parte participou neste dia de retiro numa chácara distante aos 30 km.

A saída foi planejada para as 07 horas, mas saímos às 07:30. Na chegada fomos recebidos pela equipe da cozinha (4 homens) com o café. Depois fomos embaixo de um telhadinho, onde pude introduzi-los para o silêncio e um momento de oração silenciosa com o texto bíblico. Na parte de manhã tiveram 3 momentos de oração, cada um com a pequena introdução. 

A oração terminou às 11 horas com a partilha dessa experiência. Foi muito rica. Podia se sentir o despertar para o valor do silêncio. Depois de uma hora de partilha podíamos celebrar a missa presidida pelo nosso pároco Pe. Marcos Daniel Pereira. 








Depois da missa foi um descanso até 14:30 horas e em seguida jogos e brincadeiras de entrosamento. Brincaram bonito, depois um lanche e saída de retorno para as casas.








Foi um dia rico. Foi bom que não foram todos, porque é muito difícil trabalhar com um grupo tão grande ao mesmo tempo. Quem sabe, no outro ano poderemos organizar um retiro por setor.

 Ir. Anna Klimczak.



 







Parabéns Ir. Cleci Cirino

Dia 04 de novembro... nossa gratidão a Deus! Ir. Cleci.... desejamos a você um Feliz Aniversário! "Uma alma radiante j...